O Ministério do Turismo formalizou junto ao Ministério de Relações Exteriores, um pedido para isentar de visto de turistas os norte-americanos entre junho de 2015 e dezembro de 2016. O documento foi entregue ao chanceler Mauro Vieira pelo ministro do Turismo, Henrique Alves.

 

 

O Ministério do Turismo formalizou junto ao Ministério de Relações Exteriores, um pedido para isentar de visto de turistas os norte-americanos entre junho de 2015 e dezembro de 2016. O documento foi entregue ao chanceler Mauro Vieira pelo ministro do Turismo, Henrique Alves.

De acordo com o estudo de competitividade do Fórum Econômico Mundial, o Brasil ocupa a 91ª colocação num ranking de 141 países na dimensão "Abertura internacional". No subitem que avalia o percentual da população mundial que necessita de visto para entrar no país, o Brasil cai para 102ª colocação.

O ministro Henrique Alves destacou a importância do pleito e afirmou que essa é uma estratégia-piloto que pode ser estendida, posteriormente, a outros países estratégicos para a ampliação do fluxo de estrangeiros e entrada de divisas no Brasil. A medida segue a tendência adotada por cerca de 50 grandes destinos internacionais, que alteraram sua política de visto para cidadãos de mais de 30 países entre 2010 e 2014. Ainda assim, no ano passado, cerca de 62% da população mundial precisava obter um visto antes de iniciar uma viagem internacional.

"A barreira do visto, em um país que se prepara para receber um dos maiores eventos esportivos do mundo em 2016, representa uma demanda represada, receita reduzida e imagem afetada pela falta de abertura internacional. A decisão certamente pode contribuir para reduzir o déficit da nossa conta Turismo, que em 2014 foi de US$ 18,6 bilhões", disse o ministro.

O pleito do Ministério do Turismo leva em conta a proximidade dos Jogos Olímpicos; a experiência de flexibilização de vistos durante a Copa do Mundo 2014, com 1 milhão de estrangeiros visitando o país e cerca de 100 mil vistos especiais emitidos para o período; e o perfil do turista norte-americano, que mesmo com exigência de visto para entrada no país é o 2º maior mercado emissor para o Brasil (592,8 mil em 2013), o que mais gasta (US$ 1.427,00) e mais permanece no país a lazer (20,6 dias).

Durante o mundial de futebol, quando a liberação de vistos foi facilitada, os estrangeiros gastaram US$ 1,4 bilhão do início de junho até o dia 23 de julho. O valor foi um recorde histórico. O embaixador Mauro Vieira afirmou não ter nenhuma dificuldade ideológica para atender o pleito, mas ressaltou a política de reciprocidade.

"Já temos acordo de isenção com 82 países, mas precisamos seguir a lei e as políticas vigentes no país", disse o embaixador.

O Ministério do turismo lidera um processo que conta com o apoio do Congresso Nacional e dos estados. A reunião contou com a presença do Presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo no Congresso, deputado Herculano Passos, do Presidente da Comissão de Turismo da Câmara dos Deputados e Membro da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, Alex Manente, dos deputados Carlos Eduardo Cadoca e Edinho Bez, e do Presidente do Fórum Nacional dos Secretários e

Dirigentes Estaduais de Turismo, Jaime Recena, secretário de Turismo do Distrito Federal. O grupo ficou de avaliar os projetos que já estão em tramitação no Congresso – PL 5655 e PLS 288 – e voltar a se reunir para tratar do tema.

Fonte:www.jornaldeturismo.tur.br